Jorge Tadeu abre as portas para Dória no DEM

Jorge Tadeu conquista R$ 12 milhões para saúde de Guarulhos
8 de agosto de 2017
Jorge Tadeu entrega 1006 moradias em Guarulhos
14 de agosto de 2017

O presidente do Democratas no estado de São Paulo, deputado federal Jorge Tadeu, abriu as portas do partido para o prefeito de São Paulo João Dória (PSDB) concorrer à presidência no ano que vem. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal Valor Econômico e publicada no portal nesta quarta-feira (09) – link abaixo.

Trecho da entrevista com a fala de Jorge Tadeu: Um possível foco de resistência é a relação do diretório paulista, em especial do secretário de Habitação de São Paulo, Rodrigo Garcia, com Alckmin. Mas o presidente estadual do DEM, deputado Jorge Tadeu Mudalen, diz que Doria será “muito bem-vindo”. “Não sou eu quem está falando, os números é que dizem que o Doria teria mais chances hoje”, afirmou. Mudalen disse que não há convite novo, mas que chamou o prefeito para o partido antes mesmo de ele ser escolhido na prévias do PSDB em 2016.

Matéria na íntegra para não-assinantes do Valor Econômico:

DEM deixa portas abertas a Doria, mas aguarda decisão do PSDB

Em busca de candidato competitivo para concorrer à Presidência em 2018 e ampliar seu processo de crescimento, parlamentares do DEM deixaram as portas abertas para uma possível filiação do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), com quem tem “afinidade ideológica”, mas ressaltaram que, por enquanto, não há convite formal – e o que já foi feito data de antes da vitória dele para a prefeitura.

Doria participou de evento em Salvador na segunda-feira com o prefeito ACM Neto (DEM), o que alimentou comentários de que o partido seria uma alternativa caso o PSDB não dê legenda para ele concorrer. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), padrinho político do prefeito, trabalha para ser o candidato.

Um líder do DEM ressalta que não há conversas diretas sobre isso ainda porque qualquer convite seria uma traição a um partido aliado. Segundo ele, antes de qualquer diálogo, Doria precisa definir se é mesmo candidato à Presidência – ele deixa no ar a possibilidade, mas viaja o país em reuniões com empresários e políticos – e se realmente não terá espaço pelo PSDB.

O “novo DEM”, que trocará de nome – o favorito, com base em pesquisas, é Mude – e aumentará sua bancada na Câmara com a adesão de dissidentes do PSB, PSDB e PSD, pretende apresentar um candidato de centro-direita para a disputa eleitoral de 2018.

Por ora, o único nome é o do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-JR), que vê como cenário mais provável a reeleição para deputado e a disputa por um terceiro mandato seguido no comando da Casa. Se acabar como vice de outro candidato, o nome mais forte é o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM).

Aliado de ACM Neto, o deputado Paulo Azi (DEM-BA) disse que o partido ainda não está “fulanizando” e que o cenário ficará mais claro só no fim do ano. “Mas é claro que ele [Doria] está se colocando muito bem no cenário nacional, fazendo contraponto vigoroso ao PT e está se credenciando”, disse. Maia deixou ontem as portas abertas, mas disse que não houve convite. “Todos que pensam como nós pensamos, num pensamento liberal da economia, com o setor privado gerando emprego e riqueza, têm espaço no DEM”, afirmou.

Forte entre os evangélicos, o deputado Sóstenes Cavalcante (RJ) disse que o DEM já sinalizou que receberia o prefeito. “Conversei com vários colegas que vem com muito otimismo essa possibilidade”, disse.

Um possível foco de resistência é a relação do diretório paulista, em especial do secretário de Habitação de São Paulo, Rodrigo Garcia, com Alckmin. Mas o presidente estadual do DEM, deputado Jorge Tadeu Mudalen, diz que Doria será “muito bem-vindo”. “Não sou eu quem está falando, os números é que dizem que o Doria teria mais chances hoje”, afirmou. Mudalen disse que não há convite novo, mas que chamou o prefeito para o partido antes mesmo de ele ser escolhido na prévias do PSDB em 2016.

Tucanos ligados a Alckmin duvidam que Doria sairá do partido para concorrer e apostam que também enfrentará diretamente o governador em prévias. Mas acham que esse intenso roteiro de viagens tem como objetivo provocar uma onda de apoio fora do partido, entre empresários e eleitores, que torne inevitável sua escolha.

Prefeito nega que estude sair de partido

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), sorriu diante da pergunta e respondeu que ninguém combinou com ele sobre eventual troca de partido para disputar a Presidência da República em 2018. “Isso é novidade. Ninguém combinou comigo”, afirmou durante breve entrevista ontem. “Convite eu já recebi vários e várias vezes. Recebi antes de ser candidato, depois de ter sido candidato, depois de eleito.”

http://www.valor.com.br/politica/5073196/dem-deixa-portas-abertas-doria-mas-aguarda-decisao-do-psdb

1 Comentário

  1. Ailton de Souza disse:

    No meu ponto de vista o Deputado Federal Jorge Tadeu fez o convite certo, convidando o Prefeito Dória para sair candidato a Presidência da Republica, hoje o PSDB, DEM, PSB, PSD, PRB, PMDB, não tem candidato a altura de Dória para sair candidato ao cargo mais elevado do país.
    O Prefeito Dória é o único candidato com condições de derrotar Bulssonaro e o Lula (se este vier candidato) e Marina Silva (já foi forte) e um politico que ainda não tem seu nome envolvido com qualquer tipo de caixa 2 ou outros tipo de corrupção como esta envolvido o Ex – Presidente Lula.
    O Governador Alckmin pode no máximo sair candidato ao Senado ja que o PSDB não tem outro candidato.
    O Deputado Jorge Tadeu Mudalém fez o convite certo ainda fortalecendo o DEM como uma grande agremiação partidaria em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *